Prodater foi conferir em São Paulo novas tecnologias para implantar em Teresina.

A Prefeitura de Teresina está adotando novas ferramentas para melhorar o atendimento à população. Uma delas é a tecnologia de armazenamento de informações em nuvem, que vai garantir maior disponibilidade dos serviços, evitando que o “sistema caia” e o atendimento aos usuários seja prejudicado.

Essa tecnologia foi apenas uma das que foram apresentadas ao presidente da Prodater (Empresa Municipal de Processamento de Dados ), Eduardo Aguiar, durante visita técnica à prefeitura de São Paulo na semana passada. O secretário executivo de Planejamento, Franzé Chaves, e o auditor fiscal da Secretaria de Finança, Ricardo Teixeira, também  foram ver de perto as experiências bem sucedidas nessa área para adptá-las e implantá-las em Teresina.

“Os serviços da Prodater são hospedados no Data Center próprio, dentro da rede da Prefeitura. Quando ocorre indisponibilidade, o serviço deixa de ser prestado. Isso acontece em todas as instituições que tem uma estrutura própria de TI (Tecnologia da Informação). Em São Paulo, os serviços estão sendo migrados para Nuvem,  hospedado fora dos servidores da Prefeitura,  o que diminui a ocorrência de problemas. Vamos utilizar essa ideia principalmente com os serviços que atendem diretamente a população, como na Secretaria de Saúde, Finanças, etc ”, explicou Eduardo Aguiar.

Especialistas explicam que a vantagem da nuvem é a possibilidade de acessar seus arquivos a qualquer momento de qualquer lugar. O conteúdo da nuvem é armazenado em um servidor, que é basicamente um conjunto de HDs ligados em rede. Os data centers (prédios que abrigam os servidores) existem em todo o mundo e são considerados muito seguros. “O serviço de nuvem envolve um baixo custo inicial. Então, já temos como migrar alguns serviços”, explicou Eduardo.

A equipe da Prefeitura de Teresina conheceu em São Paulo o projeto City Câmeras, no qual o cidadão contribui com o sistema de vigilância de sua residência, disponibilizando as imagens para o poder público quando necessário. O projeto City Câmeras está em fase inicial em São Paulo e, se for bem sucedido, poderá ser adaptado para Teresina.

O presidente da Prodater informou ainda que o Business Intelligence (BI) também será implantado em Teresina.  Consiste no processo de coleta, organização, análise, compartilhamento e monitoramento de informações que oferecem suporte aos gestores da prefeitura para a tomada de decisões. “A utilização dessa tecnologia vai ajudar muito. Os gestores terão acesso às informações mais importantes da gestão municipal de maneira ágil”, informou.